A+A-Acessibilidade
EnglishPortuguese
Buscar

Conexão Rio-Campinas abre com debate sobre as fronteiras da IA

Pesquisadores debatem na quarta-feira (22) as novas fronteiras da Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial já faz parte das nossas vidas, como por exemplo nos assistentes de voz pessoais ou nos sistemas de recomendação de filmes. Mas, e se A IA evoluir mais ainda, possibilitando incorporar capacidades cognitivas até então reservadas aos seres humanos, como filosofar, imaginar o que a outra pessoa deseja, conseguir refletir sobre si mesma, ou criar obras de arte geniais?

O próximo encontro da Conexão Rio-Campinas, uma parceria de pesquisa e divulgação científica entre o Departamento de Informática (DI) e o Instituto de Computação (IC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), vai mergulhar fundo nesse assunto. Os professores do DI, Bruno Feijó e Jônatas Wehrmann e os professores do IC, Anderson Rocha e Esther Colombini, vão comandar uma mesa-redonda na quarta-feira (22), às 18h, para discutir o que há de mais recente nas pesquisas de Inteligência Artificial Geral.

O tema, que será o assunto principal do encontro, está ligado à atual e futura evolução da IA e ao conceito de singularidade, que descreve um ponto em que algoritmos e modelos de IA serão mais capazes do que humanos de resolver problemas que envolvam raciocínio e até mesmo emoções. Como itens centrais da pauta do debate deverão ser debatidos teorias como a do pesquisador Ray Kurzweil, segundo quem essa singularidade deve ser atingida ainda nesta década.

“Essa estimativa de que isso poderia acontecer em 2029 pode ser bastante assustadora, digamos assim, para algumas pessoas. Então trazemos para a mesa de discussão: ‘O quão próximo estamos?’, ‘Quais os desafios que ainda nos separam de chegarmos a uma solução chamada de IA geral?’, ‘Quais são as barreiras que precisam ser vencidas?’, ‘Será mesmo que estamos próximos dessa singularidade?’. Também vamos discutir isso e quais as implicações de estarmos nos aproximando ou não dessa IA”, disse o professor Anderson Rocha.

A live também irá trazer reflexões sobre a possibilidade dos próprios sistemas desenvolverem outros sistemas. O professor Jônatas Wehrmann destaca os questionamentos científicos que essa tecnologia traz. “Na minha visão, a IA é potencialmente a tecnologia que vai trazer mais impacto em um curto-médio prazo. Ainda precisamos lidar com várias limitações e perigos, mas existe muita pesquisa sendo realizada para contornar esses detalhes, e provavelmente caminharemos para um desenvolvimento seguro e sustentável de sistemas inteligentes que serão usados pra transformar a forma com que fazemos todas as coisas.”

Além dos questionamentos científicos, a live também vai discutir as aplicações práticas da IA nas nossas rotinas individuais, como saúde, sustentabilidade, segurança, desenvolvimento e produtividade. “Vários pesquisadores ao redor do mundo afirmam que a IA é a nova eletricidade, especialmente quando comparada ao potencial de impacto no mundo”, completou Wehrmann.

Você pode assistir a essa live no canal do YouTube do DI (youtube.com/dipucrio) nesta quarta, às 18h. Para não perder esse e outros encontros, se inscreva no canal e ative as notificações.

Autoria : Assessoria de Imprensa Corcovado